Archive for 17 de setembro de 2008

h1

Coração bom, coração mole.

17/09/2008

O melhor remédio é o AMOR

Pode me chamar de demente, doida, idiota, tapada, burra… do que quiser mas, eu simplesmente não consigo conviver com rancor dentro do meu coração. Não consigo mesmo! Ou eu perdôo ou eu deleto.

Pode ser até que eu sinta raiva de algumas pessoas ou situações mas tudo isso não dura muito tempo. Pode até durar mas, sempre se desfaz quando a coisa começa a parecer coisa de idiota. Ou simplesmente, deleto aquela parte ou aquela pessoa da minha vida. Assim… como se nunca tivesse existido. Mesmo! Lacuna Inc, sabe? (Vide “Brilho eterno de uma mente sem lembranças“.)

Pois é… eu perdôo quem merece, me coloco no lugar das pessoas mesmo, ajudo, fico do lado, converso e não tenho medidas pra ajudar outra pessoa a ficar bem ou a facilitar as coisas. Mas só quem não faz canalhice comigo. Afinal, td mundo pode errar um dia. Ninguém é perfeito! Só falta de caráter é que não admito. Imaturidade muito menos.

Pode ser idiotice pra muitos… e, por muito tempo achei que isso era um defeito grave meu: ser tão “coração mole”. Hoje vejo que é uma das minhas maiores qualidades. Isso isso me faz melhor do que um montão de gente que antes eu julgava que tinha toda razão do mundo. E sabe. EU ACHO ISSO ÓTIMO! Significa que, a cada dia que passa eu me amo mais.

Sabe… não consigo mesmo entender gente que aponta o dedo pra cara dos outros, acusando disso e daquilo, recriminando e até julgando. Por acaso essas pessoas se acham perfeitas? Pois esquecem que, ao apontar um dedo pra o outro, três dedos estão apontados pra sí próprios.

E olha, na boa… eu sinto uma leveza tão grande em mim por eu ser assim… É a melhor coisa do mundo não julgar ninguém nem meter o nariz na individualidade de ninguém. Apenas respeitar e aceitar o outro exatamente como ele é e sabendo que, esse outro pode melhorar, mudar, crescer e aprender… O segredo é o respeito. Respeito e amor ao próximo. Mas, infelizmente algumas pessoas não crescem ou, simplesmente estacionam. Fazer o q? Ficam pra trás.

Quem ainda tem esse pensamento diminuto… pena… fica vários e vários quilômetros atrás… e a milhares e milhares de quilômetros de mim na escala de evolução.

É triste confiar nas pessoas que não mereciam nenhuma confiança… Não triste pra mim. Triste pra pessoa. Triste porque essas pessoas talvez nunca venham a saber o verdadeiro sentido da palavra amor. Tenho pena. E sabe? Um dia, todas as pessoas, por mais máscaras q usem, mostram sua verdadeira face. Essa é a vantagem. Ninguém consegue fingir pra sempre.

As pessoas só dão valor quando perdem. Então…

Que venham as borboletas!

Obrigada aos amigos que estiveram junto de mim… sabendo ou não sabendo o que eu passava. Obrigada Vivi, Verinha, Pat, Tio Lula, Claudia, Flavinha, Carine, Vall, Cleide, Lana, Adelia, Micheline, Tutu, Gisa, Joana, Gaguxo, Tássia, Gonzalo, Huguinho, Primo-Heitor, Jey, Mamoru, João, Luiza, Manú, Lu, Thatoo, Socrates, Thi, Luiz, Marcelo, Claudio, Carrilho, Leon, Gal, Delma, Diego, Dany, Quel, Xanda, Beta, Igor, Carol, Dirceu, Fabiano, Inglid, Jéh, Renata, Lila, Lipe, Maumau, Márcio, Verônica, Pam, Raffitchu, Susu, Tâmara, Vanessa, Nena e Simone. E tds que, por acaso tenha esquecido de citar. Suas energias positivas me trouxeram realmente o melhor: A verdade e a liberdade pra ser feliz.

Também agradeço à minha família que sempre me apoiou em tudo e minha terapeuta que está me ajudando barbaridades!

Amo vocês! Todos vocês são um presente por serem leais, fiéis, verdadeiros e amigos.
Não é uma vingançazinha infantil que vai me derrubar! Sou maior que isso.