Archive for julho \31\UTC 2009

h1

Mineirinho Valente

31/07/2009

mineirinho-valente

Esta foi a melhor “Comida di buteco” de 2005, em Belo Horizonte! O festival popular de gastronomia, agita os bares e botequins de BH.

A receita é do Casa Cheia. O boteco fica no Mercado Central, na região Centro-Sul da capital mineira, foi reconhecido como um dos mais importantes estabelecimentos do setor e será condecorado com a insígnia de ouro “Global Quality Management”.

Ingredientes:

  • 600g de canjiquinha (deixar de molho na água por 1 hora aproximadamente)
  • 2 cebolas picadas
  • 1 pimentão vermelho picado
  • 2 talos de aipo picado em cubos

Tempero:

  • alho e sal
  • 2 litros de caldo de costela
  • 4 dentes de alho picado
  • 3 colheres de sobremesa de manteiga
  • 4 colheres de azeite
  • Uma pitada de curry
  • Pimenta Biquinho
  • Espinafre picado
  • Cheiro verde
  • 300g de queijo minas meia cura ralado grosso
  • pimenta do reino a gosto
  • 500g de lombo defumado picado em cubos
  • 400g lingüiça caseira
  • 500g Costelinha de porco desossada picada em cubos e temperada com vinho branco

Preparo:

Fritar o alho no azeite, em seguida colocar a cebola, pimentão, aipo e curry, deixe fritar por alguns minutos.
Escorrer a água da canjiquinha e colocar na panela.
Adicionar o caldo de costela, pimenta do reino e temperar a gosto.
Deixe cozinhar aproximadamente por 15 minutos mexendo de vez em quando para não agarrar, vai colocando caldo de carne a medida que for secando, misturar 2 colheres de manteiga e reservar.
Fritar levemente a lingüiça com um pouco de manteiga e reservar.
Fritar a costelinha desossada e reservar.
Misturar o lombo defumado, lingüiça e a costela na panela da canjiquinha por 10 minutos em fogo baixo, em seguida colocar as folhas de espinafre e fazer a montagem com queijo.
Levar o caldeirãozinho ao fogo, forrando-o até ao meio com a canjiquinha preparada, Colocar o queijo ralado, formando uma camada.
Completar com a canjiquinha, mais uma camada de queijo, cheiro verde e pimenta Biquinho (ou de bico).

Fonte: Descascar Alho e Pras Cabeças
Receita: Ilmar Antônio de Jesus

Anúncios
h1

“A felicidade nada mais é do que boa saúde e memória fraca.”

30/07/2009

olho colorido

Na boa, essa é aquele tipo de frase simples num lugar bobo, mas faz sentido.
“gentileza gera gentileza” já dizia José Datrino.

Acho que não preciso nem comentar da saúde, porque é obvio, mas quanto a memória fraca, sinceramente isso é totalmente verdade. E olha que eu estava pensando nisso um dia desses, e começou mais ou menos quando eu me lembrei de uma coisa ruim do passado e eu me senti mal, claro, e pensei que enquanto eu me esquecia desse fato ruim, eu era feliz. Nem que seja por uma hora quando saia com amigos, ou algumas semanas, meses. Claro que de fato não me via completamente infeliz quando me recordava porque já havia se passado um tempo e, quanto maior a distancia do ocorrido, menos mal eu me sentia.

Observação que quando coloco “feliz” ou “infeliz” é de forma bem genérica, uma vez que felicidade e infelicidade não dependem de um acontecimento isolado.

Então, podemos concluir que se algo nos incomoda, abstrair é uma boa opção (ou pode chorar até seus olhos incharem e você cansar).

Esquecer e adiar sempre a lembrança ruim até que um dia ele não tome mais conta da sua cabeça; claro que vai haver uma reflexão antes, o fato é não fazer reflexões a de eterno.

E faço minhas as palavras dela.

Dinah Chershire

h1

Por que eles sempre somem?

30/07/2009

Desequilíbrios energéticos podem explicar dificuldades amorosas

catphone

Ela conhece alguém legal. Percebe afinidades e um clima gostoso quando estão juntos. Eles saem diversas vezes, se falam todos os dias, tudo parece caminhar para um relacionamento mais firme. E então tudo esfria tão rápido que não dá tempo nem de se dar conta. Ele simplesmente some.

Ela se pergunta: “Por que isso sempre acontece na minha vida? O que há de errado comigo? As pessoas dizem que sou bonita, legal, e não entendem como não estou me relacionando com alguém. E eu também não.”

Essa é uma situação bastante comum nos atendimentos que realizo. Normalmente são mulheres aparentemente bem resolvidas, independentes, bem cuidadas, mas com uma interrogação no fundo do seu olhar: qual o meu problema?

Muito frequentemente, as mulheres que trazem essa pergunta são do estilo “muito legal e simpática”. Não conseguimos enxergar defeito nelas, de tão legais que são. Elas ouvem frases como: “você é perfeita”, “você é a pessoa que eu quero ficar junto”, “você é mulher para casar”.

Mas muitas vezes essas mulheres aparentemente perfeitas no nível físico trazem muitos desequilíbrios em padrões emocionais e mentais. Somos todos seres constituídos não só de matéria física, mas de energia sutil. Pensamentos, crenças e emoções, conscientes ou inconscientes também formam nossos corpos energéticos, que não são visíveis ou tão perceptíveis como nosso corpo físico. Portanto, nossas interações com o meio e com outras pessoas não se dão apenas de modo físico, mas também energético.

O pretendente pode não enxergar os desequilíbrios na mulher que julga perfeita. Mas pode, mesmo que inconscientemente, senti-los. Bem provavelmente ele vai pensar “ela é tão legal, bonita, bem resolvida… gostaria de ficar com ela, mas parece que falta alguma coisa, algo não está batendo…”. Ele não consegue explicar a razão de não ter mais vontade de estar com ela, pois racionalmente não há motivos.

Se você se enquadra no estilo “boazinha e legal” pode também estar mascarando uma tentativa consciente ou inconsciente de controlar o outro. Um jogo em que, de alguma maneira muito sutil, tenta obrigar o outro a fazer aquilo que você quer que ele faça. Quer que ele ame você e se comprometa, que diga e faça aquilo que você espera, que ele atenda as suas carências e todas as suas expectativas altíssimas. Às vezes, cria-se um jogo em que ele sente-se quase obrigado a atender às suas expectativas, afinal você é tão legal e fofa que merece ser agradada. E esse jogo escraviza e cansa a outra pessoa, que se sente aprisionada. Energeticamente, seria como se sua energia estivesse abraçando a dele como um polvo, imobilizando-o e controlando-o. Mais uma vez, esse “ataque” pode não ser visível, mas pode ser sentido, de forma consciente ou inconsciente.

A “boazinha” pode também carregar em seus corpos mental e emocional traumas e crenças negativas a respeito de relacionamentos, que procura esconder e abafar dentro de si. Apesar de aparentemente muito simpática, suas energias desarmônicas podem ser captadas pelo outro, que mesmo sem entender porque, vai se desinteressando.

Se você se envolve frequentemente com parceiros que somem sem explicação, saiba que essa situação sinaliza algo dentro de você. Busque através da meditação, ou se sentir necessidade, com ajuda profissional terapeutica, essas questões a serem trabalhadas em você. Durante esse processo pode ser vantajoso ficar sozinha durante um tempo. Não se preocupe se os pretendentes pararem de aparecer, e respeite seu tempo de cura. Quando estiver harmonizada, seu próprio campo energético vibrará de outra maneira, e se encarregará de fazer fluir interações e relacionamentos mais saudáveis.

Fonte: Personare
Texto de: Ceci Akamatsu

Terapeuta energética, faz atendimentos individuais no Rio de Janeiro. Bióloga por formação, se especializou em terapias que promovem a harmonia e o bem-viver.
contato: ceciakamatsu@gmail.com

h1

Chai Indiano

30/07/2009

chai

Ingredientes

200 gramas de gengibre
160 gramas açúcar (cristal ou refinado)
10 cravos
3 a 5 paus de canela (depende do tamanho)
10 sementes de cardamomo
100 gramas de leite em pó
8 saches de chá preto

Modo de Preparo

Ralar o gengibre usando a parte maior do ralador. Colocar na panela o gengibre, açúcar, cravo e a canela. Separar 200ml do total de 1,5l de água para diluir o leite em pó e colocar o resto para ferver. Pilar o cardamomo até o mesmo virar um farelo. Acender em fogo alto a panela com o gengibre. Mexer até o açúcar derreter e formar uma liga com o gengibre e este ganhar um aspecto melado. Não deixar queimar. Após a formação da liga, adicionar a água semi-fervida e o cardamomo moído. Esperar ferver. Adicionar o leite e esperar ferver. Após a fervura, apague o fogo e acrescente os saches de chá preto para deixar descansar por uns 10 minutos. Depois coar duas vezes, uma para tirar o excesso e outra para tirar as pequenas partículas de gengibre que sobram. Armazenar numa garrafa térmica e sempre servir quente. Pode ser guardado por um dia na geladeira.

Fonte: Gostinho de quero mais

h1

Tapa na cara

28/07/2009

girassol

Tava tomando café da manhã no flat (o último dessas férias) e aí vem a Ana Maria Braga tagarelar no meu ouvido:

“Só existe dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.”

caminho
Dalai Lama

É bom receber essas tapas no meio da cara logo de manhã. Ajudam a gente a acordar sabe? Ajudam a relembrar quem somos e a que viemos.

h1

Fora do ninho

27/07/2009

ninho

Quando me afasto um pouco de casa e tiro férias é como se eu tivesse noutro mundo… noutra dimensão… algo assim.
O tempo vai passando, as férias vão acabando e eu chego mais perto do dia que tenho que voltar pra casa.
Aí as coisas começam a voltar junto com os medos. Sim, medo de voltar pra casa, medo de encarar a vida real novamente. Um medo gigante de voltar do mundo da fantasia pro mundo real, com problemas, pessoas e coisas que você não quer mais lembrar mas você precisa voltar. Não tem outro jeito.
A gente não pode ficar eternamente se refugiando noutro lugar numa vida que, mesmo você fazendo parte dela, não é a sua. É tão bom viver num mundo diferente do seu… esquecer tudo mesmo que só por uns tempos…
Voltar tem a parte boa. Os amigos, o trabalho, as risadas junto com as pessoas que a gente ama… E aí fico dividida entre fugir pra bem longe e ficar bem perto do ninho.
Por enquanto é hora de voltar um pouco mais relaxada e preparada pra encarar a vida real. Até que algumas coisas voltem a incomodar (ou não) e seja necessário bater asas e voar novamente.
Não sei quem tem ou não tem direito a ser feliz. Sei que EU tenho direito. E cada um recebe o que merece, colhe o que plantou. A justiça será feita.

Dinah Chershire

h1

Danoninho Caseiro com Geléia de Morangos

25/07/2009

danoninho-caseiro

Ingredientes:

  • 3 caixas de morango – 250 g (750 g no total)
  • 1 ricota fresca – 350 g ou 400 g

Danoninho Caseiro

Legítimo Petit Suisse de Morango, aromatizado com Morangos de verdade (rendeu 1,600 litro usando uma ricota fresca com 400g):

Morangos Aferventados (não chega a ser geléia encorpada)

  • 2 caixa de 250g de morango, fruta picado grosseiramente (a receita original da Miriand pede 600g, hoje uma caixa vem só com 250g)
  • 8 colheres (sopa cheias) açúcar (é este açúcar que vai adoçar a receita)
  • suco de 1 limão

Liquidificador

  • morangos cozidos (pode ser quentinha mesmo, fresquinha)
  • 375 ml leite geladissimo ( 1 e 1/2 copo de requeijão)
  • 1 lata de creme de leite com soro, daquelas com 390g (ou 2 caixinhas de 200 g tipo UHT longa vida)
  • 400 g de ricota fresca (a receita original pede 500g , eu faço com 400 g e tem vez que faço só 350 g)
  • gotinhas de corante vermelho (para dar o tom de rosinha no Danoninho caseiro)
  • 1 colher (sopa) essência de morango – opcional

Geléia de Morango Caseira da Priscila

(rendeu certinho 12 colheres de sopa – caçarola):

  • 1 caixa de morango de 250 g
  • 4 colheres (sopa ) açúçar
  • suco de 1/2 limão espremido

Modo de preparo:

Geléia de Morango

Já que vai ferver para o preparo do Danoninho e uma geléia para finalizar, começe fazendo as 3 caixas juntas. Escolha um fervedor de leite teflonado, porque ele é alto. Geleia de Morango sobe muito, cresce bastante no fogo (quanto mais 3 caixas). Ferveu, retire 2/3 e coloque suco de limão. Deixe o restante no fogo para ir apurando mais um pouquinho. De vez enquando mexa, mesmo teflonado ele quer grudar no fundo. Desligue, finalize com suco de limão. Quente é bem liquido. Frio ele engrossa bem.

Danoninho Caseiro

Depois de ferver por uns 3 minutos. Ele sora água sozinha, vai encher de liquido o fervedor, os morangos estão prontos. Coloque todos os ingredientes no liquidificador. Bata até ficar homogêneo. É bem líquido, na geladeira ele endurece. Coloque gotinhas de corante vermelho, para deixar ele num tom de rosinha clarinho.

Rendimento Testado pela Priscila:

  • Danoninho Caseiro – Rendeu 1,600 litro de Danoninho pronto . Rendeu 12 taças, cada taça minha ficou 130 ml só de Danoninho, o que equivale atacar uns 3 potinhos Danoninhos comprados numa só sequencia. Comendo a gente sente que a porção é ideal. Apesar que o Alexandre e o Michel devoraram de cara 2 taças na sequência.
  • Geléia de Morango Caseira – Receita de 1 caixa de 250 g de morangos, rendeu 12 colheradas de sopa bem cheias – foi a conta certinha para cobrir cada taça.

Fonte: Delícias da Priscila