Posts Tagged ‘reflexão’

h1

Que caminho?

16/02/2010

Cada dia que passa eu me dou conta que certas coisas não são pra mim. Não sei até que ponto isso é bom porque, uma vez que se sabe aquilo que não é pra você, você se frustra com um bando de coisas. Por outro lado você sabe exatamente qual caminho você não deve tentar. Ou, pelo menos, ficar na sua pra ver se realmente aquele caminho não é pra você. O danado do TEMPO sempre comanda nessas situações. O “esperar” é q me desgasta…

Ao menos agora eu sei que devo continuar onde estou e que ainda não é hora de desviar pra outros caminhos por causa de nada nem ninguém.

Complexo isso né? Tanto que dá pra aplicar em milhões de situações na vida, seja profissional, psicológica ou amorosa.

Pra refletir… ao menos aos poucos se aprende quais os caminhos que não se deve tomar e os caminhos que se quer pra si.

h1

Sorte é quando a oportunidade encontra a competência

10/11/2009

sorte

Achei interessante uma pessoa dizer que sorte é quando competência e oportunidade se encontram. É preciso saber perceber a oportunidade. E esse poder de percepção pode ser aprendido: é saber enxergar numa situação aquele diferencial que escapa aos olhos de quem é preconceituoso e convive com paradigmas superados.

Certa vez, um homem ia com um companheiro pela estrada. Enquanto conversavam, a cada instante o homem se abaixava, descobrindo sob a poeira ora um anel ora um colar de ouro ou de pedras preciosas. O amigo, atônito, perguntou ao homem:

– Mas que estranho dom miraculoso é esse que faz você ver coisas que eu não sou capaz de enxergar?

– Ora, não há nada de miraculoso – respondeu o homem. – Quando estive preso numa cela totalmente escura, para não enlouquecer usei uma técnica: jogava cinco alfinetes a esmo no chão e não descansava enquanto não os encontrava. Com isso desenvolvi minha capacidade de percepção.

Essa história nos ensina que muitas vezes o que chamamos de sorte, boa estrela e intuição são apenas fruto do desenvolvimento de uma percepção acurada e de muita disposição e persistência para realizar.

Fonte: O que podemos aprender com os GANSOS – Alexandre Rangel

h1

Happy ending (O ano tá acabando, meu povo!)

19/12/2008

coracao

Tá chegando mais um fim de ano e a gente, nessa época, faz aquele bom e velho balanço geral de tudo que vivemos. As coisas boas, as ruins, as experiências, os aprendizados, nosso crescimento pessoal, profissional…

Sabem… eu tou com uma frase recorrente na cabeça: “Antes só do que ACOMPANHADA“. Não importa se mal ou bem. O importante é eu estar só nesse momento. Isso em se tratando de relacionamentos afetivos, claro. Pq eu sempre tenho a companhia de amigos, família e pessoas que gostam de mim.

Mas, assim… essa frase tem sido marcante devido a uma coisa que eu sempre valorizei e agora muito mais: O tal do RESPEITO. Respeito aos sentimentos alheios, respeito às pessoas e, principalmente, respeito a mim mesma e aos meus sentimentos.

Muito embora a gente não mande no coração, às vezes acontece da gente gostar justamente de quem, primeiro não aparentemente nos merece e depois quem não dá a mínima pra gente (ou pelo menos faz questão de parecer não dar). Mesmo assim, não ia ser nem bonito nem respeitoso estar com alguém pensando noutra pessoa. Ou estar com alguém, pra tapar buraco ou por pura carência. Ninguém iria suprir a carência de um certo beijo, de um certo cheiro, de um certo olhar, de certos carinhos que serão únicos pra sempre. Que talvez não voltem nunca mais, mas serão eternos. Sonhos que levam tanto tempo para serem construídos, não são apagados assim tão fácilmente. Muito menos qualquer um pode realizá-los assim na boa.

Quando a gente aprende a gostar da gente, nós nos bastamos e, de forma alguma, iremos passar por cima do que sentimos. Como dizia a Lispector: “Eu te amo e o que é que tu tens a ver com isso?

Depois que Felicia me convenceu de que eu sou mesmo uma pessoa interessante, inteligente e bem resolvida, minha vida têm tido mudanças significativas. Nada como uma boa conselheira pra te empurrar pra frente…

Meio platônico, pode ser… mas ok. Se eu amo alguém, eu amo e não vai adiantar procurar essa pessoa noutras pessoas. Só tenho duas opções: Deixar o amor morrer, enterrá-lo e rezar a missa de 7º dia ou viver e lutar por ele. Juro que ainda não faço a menor idéia do que fazer com isso mas, enquanto não encontro a solução, deixa do jeito que tá: Sem contato, sem esperança, sem reciprocidade, sem notícias… Simplesmente ocupando a cabeça e a vida com outras coisas que têm me feito muito bem.

Um dia a coisa toma o rumo que deve tomar, seja ele qual for… Mas o importante é saber que, apesar de tudo, o amor sobrevive ainda. Sobreviveu às mágoas, às tristezas, às perdas… quem ama, perdoa mesmo! Enquanto isso, vamos vivendo e vivendo e vivendo… pq a vida é bonita, é bonita e é bonita! E amar, minha gente, tem que ser uma coisa boa! Muito boa!

Dinah Chershire

.

.

shell-32x32E não houve final feliz. Alguns sentimento, por mais que eu tente domar, são indomáveis. E eu tento tentado o impossível pra te esquecer mas, não dá.

h1

70% pura

14/11/2008

chocolate

Hoje, depois de ter queimado meus pobres neurônios o dia inteeeeeeiro com um trabalho pesadééérrimo, resolvi relaxar refletindo sobre porque acreditamos. Sim, por que acreditamos em algo, alguém, alguma coisa?

Por que somos uma espécie de visionários? Talvez por sermos burros? Ou quem sabe pq somos inteligentes o suficiente para, em alguns segundos e através de algumas conexões rápidas, simplesmente vislumbramos um resultado ou uma solução para determinado caso?

Poderia ter encontrado uma coisa menos complexa pra relaxar, não? Acho que vou me mandar para um retiro budista e só sair de lá quando conseguir meditar tanto a ponto de não pensar mais em coisas complexas.

Pára de pensar, Dinah!

Começo a achar que meu problema é pensar demais.

E cada dia mais, me torno um chocolatinho suíço 70% puro. E vcs sabem: Quanto mais puro, mais amargo!

Assinatura

.

.

shell-32x32Brigo e me torno amarga com o mundo para negar que amo você, apesar de tudo.